Em Água Clara, mãe realiza rifa para tratamento do filho diagnosticado com assemetria craniana

189
visualizações

A moradora de Água Clara laisla Simões está realizando uma rifa com a finalidade de viabilizar recursos para o tratamento do seu filho de 4 meses de idade que foi diagnosticado com Assemetria Craniana e precisa passar pelo médico no município de Araçatuba (SP).

Conforme explicou Aliane Nascimento, avó da criança, devido ao fato de a criança ter ficado por muito tempo de barriga para cima, acabou ocasionando um achatamento na parte de trás da cabeça. “Por ter descoberto isso há pouco tempo, o quanto antes irmos atrás do tratamento, mais rápido e certeiro será o resultado”, explicou. Segundo ela, o médico disse que por conta da doença, a criança não está ganhando peso o que pode afetar várias partes do seu sistema imunológico.

O sorteio será realizado tão logo sejam comercializados todos os números disponíveis.

Os prêmios sorteados são um PIX de R$ 200,00 e uma semi joia no valor de R$ 200,00.

A chave PIX é 18 99609-4274

Uma parte da cabeça parece mais achatada ou alongada. Olhos Desiguais: Os olhos do bebê podem parecer desalinhados devido à assimetria craniana. Pescoço Rígido: Dificuldade em virar a cabeça para um lado. Dificuldade de Amamentação: Problemas ao mamar devido ao desconforto na posição da cabeça.

O que é assimetria craniana em bebês?

A assimetria craniana é o nome dado a qualquer deformidade que atinge o formato do crânio do bebê. Essa deformidade pode ser congênita (quando a criança nasce com ela) ou posicional.

Em geral, a deformidade congênita é rara. Ela é chamada de craniossinostose e é uma deformidade que acontece devido ao fechamento precoce de uma ou mais suturas do crânio.

Diferentemente dos adultos, o crânio do bebê é dividido por suturas cranianas. Elas existem porque, para nascer, o bebê precisa reduzir o tamanho do crânio e, depois, a cabecinha da criança precisará crescer.

Os bebês que nascem com craniossinostose tem uma ou mais suturas já fechadas, impedindo o seu crescimento natural. Contudo, como explicamos, essa condição é bem rara.

Por isso, a maioria das assimetrias nos bebês são causadas pelo apoio excessivo e repetido de um ponto da cabeça.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui