Jovem de Água Clara lança seu primeiro livro: “Poesia p/tudo que tem nome”

283
visualizações

“Poesia p/tudo que tem nome”. Esse é o título do livro escrito por Lucas Ribeiro e representa a sua primeira obra literária exposta ao mundo, bancada com recursos inteiramente pessoais, que foi desenvolvida e processada pela Editora Becalete, de Mogi Guaçu-SP.

Conforme explica o autor, a obra em si, como um todo, é uma única poesia, composto por poemas e textos. “Ora rimam, ora não, e essa liberdade poética é que nutre o sentido do livro”, ilustra.

Lucas conta que a ideia do nome surgiu quase que naturalmente através do processo de criação do livro. “Diria que espontâneo, como um suspiro diante de algo que precisa ser reagido. A vontade de dar nome às coisas e, principalmente, sentimentos e emoções que precisavam de gerenciamento, expressados através da poesia e sendo esse reflexo interior. Por isso o nome “Poesia p/ tudo que tem nome”. Afinal, acredito que pra tudo exista um nome e pra todo nome uma poesia”, pondera.

A obra

“Antes de ser uma mensagem para o mundo, como uma música tocando nos alto-falantes de um som, ou uma mensagem sendo dita e amplificada por um microfone, é um espelho”. É desta forma que Lucas responde à pergunta sobre que mensagem pretende transmitir pelas páginas do livro.

O conteúdo do livro, segundo ele, transmite essa sensibilidade tanto em respeito ao interior humano, passeando por sentimentos e inquietações, sonhos e reflexões, quanto ao caráter externo, critico, social, não em forma de apontamentos julgativos (sic), mas de reflexões necessárias à uma urgência de não perder o otimismo e a esperança. 

“Poesia p/tudo que tem nome” reflete praticamente um terço da vida do poeta. Os primeiros esboços, poemas e rabiscos, de acordo com Lucas, começaram quando tinha 12 anos, em 2006, e foi se desenvolvendo até seus 18 anos, em 2012. “No início, de forma despretensiosa, mas como um desabafo mesmo, um diário de uma criança que como todo ser humano enfrenta crises, mudanças e no meio disso tudo precisa se encontrar parte do meio social que vive”, realça.

Arguido se tem preferência por algum trecho específico do livro, Lucas responde: “Eu tenho um carinho muito especial por cada palavra, verso, que dá composição ao livro, lembro exatamente de cada momento que meus “filhos”, como gosto as vezes de chamá-los, nasceram, mas em especial, um que me marcou muito é o poema da página 114: “A dança dos astros em um planeta apagado”. O grito que ele representa e o momento cirúrgico que ele nasceu possui uma intensidade que me faz citá-lo diante dessa pergunta”. 

Feliz com o resultado de seu “primeiro filho”, Lucas diz que ainda este ano, possivelmente no segundo semestre, pretende lançar o segundo livro, cujo conteúdo já está praticamente concluído. “Salvo algum imprevisto ou mudança de planejamento, está, até o momento, tudo encaminhado para que eu consiga lançá-lo ainda esse ano”, afirma. 

Lucas também pretende, em breve, fazer uma ação de lançamento do livro, na feira municipal e também na escola em que cresceu estudando: a Luciano Silvério de Oliveira. “Já tive a honra de expor o livro na feira do consumidor na Escola Marechal, aonde cursei o ensino médio, e foi muito gratificante encontrar ali alguns professores da minha infância, adolescência”, expõe. 

Visita à prefeita

O autor foi também ao gabinete da prefeita Gerolina, “onde pude, a convite de sua assessoria, prestigiá-la não somente como nossa autoridade governamental, mas também como autoridade educacional, entregando um exemplar do livro, visto que ela também foi uma das professoras que contribuíram para com a minha história e educação. Fui muito bem recebido e pude compartilhar meu sonho de contribuir de alguma forma para que outras pessoas que queiram e precisem de ajuda ou informação para lançarem seus materiais e projetos”, diz. 

Acreditando que, direta e indiretamente, ninguém vence ou realiza sonhos sozinho, Lucas destaca os agradecimentos sinceros a pessoas cirúrgicas e necessárias não somente na produção física do livro, “mas também no meu processo de amadurecimento pessoal, principalmente ao acreditarem em todo processo artístico e pela sensibilidade em acolher o meu dom em juntar as palavras com sentimentos”. 

Agradecimentos

Encabeçando a lista de agradecimentos, cita seus pais Marcos e Almerita, a quem considera como eternos protetores. “Ao meu irmão, não de sangue, mas daqueles que a vida comunga em nossos caminhos, Sand Donero, que sem ele essa realização não seria possível de forma alguma; a Ângela Justino, sábia conselheira e dona de muita elegância que por vezes me emprestou seus ouvidos atenciosos em momentos de dificuldades existenciais”, prossegue agradecendo. 

“Não poderia deixar de agradecer ao apoio incondicional de todos que acreditaram e encorajaram o lançamento do livro, principalmente aos amigos que desprenderam tempo e atenção ao contribuir com os prefácios: Ângela, Jessé, Luís, Matheus, Nilce e Wagner, e a comunhão da sabedoria dos comuns, àqueles que movem os dias ordinários, sem glamour mas que estampam poesias em seus rostos mesmo em meio a todas as dificuldades e desafios. Minha família, amigos, pessoas que contribuíram emocionalmente e como inspiração para a criação do livro, é sobre vocês também que essa obra fala”, expressa.

E deixa ainda um agradecimento especial à professora NeurÍlia Medeiros – que classifica como eterna mestra, “que acendeu o estopim dessa aventura que é a literatura em minha vida, à todos os professores, professoras, agentes educacionais, coordenadores, diretores, inspetores, todos que de alguma forma fazem parte do corpo e da linha de frente pela educação. Vocês salvam e transformam vidas. Meu eterno e máximo respeito. Gratidão!”.

Por fim, o poeta, que escreve desde os 11 anos, pontua: “Não seria exagero dizer que sou apenas mensageiro, a mensagem é maior que eu, maior que qualquer palavra que eu possa expressar e minha busca como poeta, escritor é ser semente para que mais pessoas possam se expressar e se encontrarem artisticamente e perceberem que não estão sozinhas nesse vasto universo. Toda história tem seu valor e a vida acontecendo é a verdadeira poesia”.

Serviços

O livro está sendo vendido tanto presencialmente, na loja do autor em Água Clara e também também em plataformas digitais como a Amazon e  UmLivro, entre outras. O valor do livro custa 40 reais, se adquirido com o autor, sendo um pouco mais caro pela Internet. Assim, Lucas convida quem quiser adquirir a procura-lo pessoalmente. “Assim conseguimos ter a experiência completa do que o livro se propõe que é conectar e causar identificação. Estou disponível nas minhas redes sociais: Lucas Ribeiro no Facebook e @lucasribeiro067 ou @barbaruiva067 no Instagram.

João Maria Vicente

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui